A nossa primogenita!

 Meus filhos adoram ouvir histórias sobre mim e meu marido quando éramos crianças pequenas e também gostam de ouvir coisas que eles fizeram quando eram mais jovens … como 2 meses atrás. Então pensei em escrever algo que eles também poderiam ler e apreciar um dia.
Todos os dias eu recebo perguntas diferentes : Como eu entrei e sai da sua barriga? EU chorava muito? coisas assim. Eu estarei escrevendo sobre minhas gravidez e um pouco sobre cada um dos meus filhos.
Quando nos casamos tínhamos falado sobre ter filhos, mas não esperávamos tê-los tão rapidamente como aconteceu. 3 meses depois do nosso casamento eu fiquei grávida, nós ficamos muito contentes e com medo ao mesmo tempo. Nós não sabiamos onde isso nos levaria, nós amamos o fato de que iríamos ser pais, mas nos não estávamos cientes sobre os desafios e lutas e também a alegria que vêm quando temos filhos. Tudo faz parte do presente. 🙂
Minha primeira gravidez foi uma das mais difíceis, eu sabia que as mulheres grávidas tinham  asia e vômitos de manhã, mas para mim era como se eu estivesse vomitando o tempo todo. O dia que eu fiz o teste de gravidez foi o dia que  senti pela primeira vez a ânsia, e durou até 18 semanas de gravidez, eu estava trabalhando o tempo todo sentada o dia inteiro atendendo chamadas telefónicas, isso realmente não foi nada divertido, mas eu estava tão feliz por estar grávida.
Acredito que a primeira gravidez eh muito especial, na realidade penso que tudo que eh primeiro eh especial, pois eh novo, diferente, inexperiente… A minha primeira gravidez foi assim, tudo que eu sabia vinha de livros e de outras pessoas falar.Nós não sabíamos o sexo do bebê, então foi uma grande surpresa.Fiquei internada algumas vezes durante a gravidez por suspeita de coágulos de sangue e eles me deram injeções na  barriga, até hoje eu não sei por que eles injetaram foi uma sensação horrível.
A data do bebe nascer era 24 de dezembro de 2004 e eu estava esperando  um parto natural e perfeito, sem dor.:-) Eu estava ciente que talvez precisaria a analgésicos, mas suponho que como qualquer outra mulher eu conhecia, eu queria o parto  mais natural e mais rápido possível, eu li bastante  sobre o que poderia dar errado se eu tivesse uma epidural ou uma cesariana. Então  no 21 de dezembro  minhas dores começaram, pelo menos, o que “eu pensei que era a dor” Nós ainda não dirigíamos, então Dave chamou a ambulância e fomos levados para o hospital, a parteira me disse que eu estava 1 e 1 / 2 centímetros dilatada e se eu quisesse eu poderia ficar. O hospital estava em silêncio vazio por causa do Natal. Claro que eu não iria voltar para casa, eu tinha lido tantas histórias,  e se no meu caminho de volta pra casa o meu trabalho de parto progredisse rapidamente … nunca se sabe.. o meu lado humano e talvez um pouco irracional  foi muito forte durante essa dor. Então ficamos e é claro que eu estava errada sobre meu trabalho de parto progredindo rápido, eu fiquei com a mesma dor durante 2 dias, sem progressão. A parteira responsável era muito boa em incentivar-me a andar, o que eu pensei então que era um conselho bobo, porque a dor aumentou, hoje eu sei que é bom  andar pois progredi o trabalho de parto.

Na noite 23 eu não aguentava mais e eles finalmente disseram-me que eu estava 4 centímetros dilatada e que eu poderia tomar a epidural se eu quisesse,  eu estava tão cansado, sem dormir por tanto tempo, eu tinha tentado banhos, analgésicos  que ajudou,mas não por muito tempo , agora a epidural foi para mim uma coisa boa, eu não aguentava mais de dor (hoje eu sei que sou muito mais forte, mas naquela hora eu disse que eu ia morrer, eu era muito irracional e exagerada) eu nunca tinha tido uma dor assim antes, era o meu primeiro parto. Dave estava comigo o tempo todo, ele orou por mim e enviou mensagens pra igreja estar orando também.

Depois que aepidural foi aplicada eu adormeci, e realmente não lembro de tudo o que aconteceu durante a noite, pela manha os médicos  ficaram entrando e saindo e me deram a notícia, cesariana de emergência foi organizada pois o trabalho de parto não estava progredindo, durante toda a noite nada aconteceu e batida cardíaca do bebê era fraca. Eu não estava esperando isso, mas naquela hora tudo que eu queria era ter o bebê  fora da minha barriga o mais rápido possível.

Quando fomos levados  para a sala de cirurgia, tive que tomar uma anestesia geral pois o epidural já havia esgotado. Isso foi por volta das 9 da manhã. Depois disso  eu só lembro de ter chorado quando eles para me mostraram o meu bebê, eu não estava acordada quando eles nos disseram: É uma menina! uma grande menina 4 kg.

Dave ficou com ela por 5 horas, enquanto eu estava me recuperando , quando me trouxeram para o meu quarto, lá estava a minha menina chorando por comida e um pai orgulhoso segurando seu bebê precioso.Que bênção! Nós a chamamos Amy Jane, nascida 24/12/2004 véspera de Natal.

Durante a gravidez, eu lembro de ter pensado que eu não poderia ter mais,  parecia tão difícil, mas uma vez eu vi aquele rostinho suave, aquelas mãozinhas e pezinhos , meus pensamentos foi para o meu pai no céu, Ele me deu este dom precioso ea força para carregá-la por todas as 40 semanas, não foi fácil, mas Ele nos disse na Bíblia que não ia ser fácil, mas Ele prometeu que estaria lá para  nos ajudar, e Ele estava mesmo! e tem estado e tem ajudado.

Amy eh muito doce,amável, ama uma conversa. hoje ela tem 7 anos. A nossa grande ajudante, Sou grata ao Senhor por ter me dado a oportunidade de ser sua mãe. Ela nos ensina muito sobre a vida cristã e nos dá muitas chances para praticar nossas habilidades parentais. Personalidade forte, porém gentil e amável.

Nós somos muito abençoados! Logo escreverei mais sobre os meus outros 5 partos, e como com muita oração, ate hoje não tive mais que fazer cesariana, a cada filho que passa tem sido melhor.

Eu te amo minha filha.

Amy e seu querido irmão Judah

Amy ama animais especialmente cachorros

Amy e sua melhor amiga: Sua irmã Naomi

                                                                            O melhor pai do mundo( de acordo com a Amy)

 

Aniversario da Amy, véspera de natal com a mamae

Amy eh uma irmazona, me ajuda muito com os bebes.

Tem 3 coisas que a Amy ama fazer :         

Cantar,ler e dançar.

Amy lendo um poema muito bonito.

Amy Cantando!

Amy nos te amamos! Voce eh uma benção na nossa família, somos gratos ao Senhor por te-la conosco.

PS/ Desculpe pelos erros, ate eu passar pra alguem corrigir demoraria muito, dai perco a vontade de escrever. Espero que consigam entender.

Muita informacao, muito cedo!

Nem me  lembro quando foi a ultima postagem que fiz aqui neste blog. A minha vida tem sido tão corrida com coisas pra nossa família que é muito  mais fácil só dar uma olhada de vez enquando no Facebook durante o dia, e eu acabo não escrevendo. Tenho vários projetos que estão começados mas não consegui terminar.

Como você pode ver eu não sou muito boa com gramática, eu fiquei um pouco desanimada depois que li meu blog, as vezes eu não ligo, mas é só quando leio que vejo os erros de Português, então fico um tempão sem escrever, acho difícil parar pra sentar e escrever se eu tiver que corrigir cada frase,  entao peço a sua paciência, tudo bem?!

O tema desse post tem tudo a ver com o que aconteceu á duas semanas atrás,dentro da minha casa.

Muito de vocês ja sabem que  somos uma família que protegemos os nossos filhos enquanto entendemos que eles ainda são muito novos e inocentes para se protegeram sozinhos, o nosso desejo é o de prepara-los para quando eles tiverem  idade e maturidade apropriada para lidar com o mundo fora de casa. Eu sei que a nossa  visão e entendimento é um pouco diferente dos de muitos pais que acreditam que os filhos aprenderão melhor se forem expostos a tudo que for possível,seja bom ou  ruim, e assim ficarão fortes pro futuro. Nós não entendemos  dessa forma, pois aprendemos através da nossa própria vida que isso não funciona assim,pois as coisas a que somos expostos quando crianças fica conosco pra sempre, e muitas vezes destruirá ou dificultará o nosso futuro, principalmente quando escolhemos viver uma vida correta segunda a bíblia, como no nosso caso quando entregamos a nossa vida ao único DEUS vivo, apesar de Ele nos dar paz e nos perdoar, as cicatrizes das coisas que vivemos na infância e adolescência não serão apagadas da nossa memória. E isso influenciará na formação do nosso caráter e moldara o que seremos quando adultos.

Hoje estava lendo um artigo muito interessante num jornal Católico aqui da Irlanda e o encontrei em Português num blog, e ele  diz assim:

 

Crianças que assistem cenas de sexo podem perder virgindade mais cedo

 

Assistir filmes, novelas e seriados com cenas de sexo durante a infância pode influenciar no comportamento sexual na adolescência. De acordo com uma pesquisa da Faculdade de Dartmouth, nos Estados Unidos, o hábito faz com que aumente a possibilidade dessa criança, perder a virgindade mais cedo, ter mais parceiros sexuais e não usar preservativo em relações casuais.

 

Os cientistas listaram 684 filmes de maior bilheteria entre 1998 e 2004 e avaliaram seu conteúdo sexual. Depois, pediram a 1.228 participantes, com idade entre 12 e 14 anos, que dissessem quais daqueles filmes haviam visto. Seis anos depois, eles foram entrevistados e falaram sobre a vida sexual.

 

“Esses filmes parecem influenciar fundamentalmente a personalidade por meio de mudanças em busca de sensações, que têm implicações de longo alcance para todos os seus comportamentos de risco”, disse o pesquisador Ross O’Hara. Embora seja impossível provar a ligação direta entre filmes e comportamento sexual, o profissional enfatizou que os resultados sugerem que os pais devem realmente evitar que as crianças tenham acesso a conteúdo erótico.

http://noticiamais.blogspot.ie/2012/08/criancas-que-assistem-cenas-de-sexo.html

Lendo esse artigo me fez querer enfatizar  de uma forma maior a importância dos pais saberem o que os filhos assistem, o que ouvem e que lugar frequentam. Parece controlador né? Mas enquanto ainda são pequenos e nós temos a oportunidade de guia-los no caminho do Senhor, devemos abraçar essa oportunidade como uma jóia preciosa.

provérbios 22:06 – Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele. 

E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração;
E as ensinarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te e levantando-te. 
Deuteronômio 6:6-7

 

Vou contar pra vocês uma história que aconteceu aqui na nossa casa a duas  semanas atrás. Moramos numa ária rural no sul da Irlanda, aqui é  tudo muito sossegado, os vizinhos vem bater papo durante o dia pra tomar um café e comer um bolo. Eu como amo esse tipo de coisa, gosto muito quando a minha vizinha vem papear comigo, bom, ela é  Católica e tem três  filhos mas a que frequenta a minha casa é  a mais nova que  tem nove  anos, também tenho outra vizinha que é  evangelica e tem quatro filhos, mas eu só conheço os dois filhos mais novos, sendo que  a mais nova tem onze anos. Ela “minha visinha católica” fala muito bem da outra vizinha, “a evangelica” , diz que ela é  uma mulher “santa”, não tem televisão em casa e sempre esta orando.

Bom, neste dia, quando a Joan(católica) chegou aqui, ofereci chá e biscoitos e começamos a conversar, dez  minutos depois do começo da nossa conversa chegaram  a filha dela e a amiga(filha da evangélica) chegaram de bicicleta e com elas os dois cachorros,  então vocês podem imaginar a bagunça que foi, os cachorros, mais o meu cachorro e gato, estava um barulho e a gente não conseguia conversar, então eu meio irresponsável disse pra todas as crianças irem brincar na sala enquanto nós tomavamos o nosso chá. Parece uma reação normal né, afinal toda mãe  pede pros filhos irem brincar em outro lugar por que o barulho é  muito grande e a conversa é de adulto …

Pois então, depois que tudo passou e a minha vizinha foi-se embora com as meninas , eu chamei as crianças pra tomar banho e escovar os dentes pra dormir,eu notei que os rostinhos deles estavam bem abatidos, então perguntei o que eles estavam fazendo na sala, com uma carinha meio de medo a Amy disse que se ela me contasse eu ficaria muito triste e brava, eu ja comecei a tremer.  Eles me contaram que as duas vizinhas fecharam as cortinas, e apagaram a luz e contaram Histórias horríveis pra eles. Historias que nao vale a pena  ser recontada, nada sexual mas mais como filme de terror, com certeza as duas meninas que estudam numa escola publica aqui perto ja foram expostas a filmes e ou histórias de terror. O mais incrível foi que a filha da evangélica foi a que contou uma história horrivel pras crianças( até pra Rebekah que só tem três anos de idade) Eu fiquei indignada, chorei, pedi perdão aos meus filhos e pro Senhor por ter deixado meus filhos serem expostos a esse tipo de coisa tão cedo. A Naomi e o Judah dormiram super mal naquela noite, a Naomi teve que dormir conosco, disse que não conseguia parar de pensar nas histórias.

 

Antes de falar algo para eles, eu perguntei: Vocês  acham  que essas histórias são boas pra vocês? Eles responderam : Nao!, então eu perguntei o  Porque e eles todos responderam: “because it is evil!” Porque sao más, demoniacas! Com essa resposta percebi que pelo menos um pouco estamos conseguindo influenciar os nossos filhos de uma forma que eles estão conseguindo por eles mesmo saber o que é bom ou o que é  mal.

Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai.   Filipenses 4:8

 

Naquela mesma noite falei com minha vizinha, disse que de agora em diante quando ela trouxer a filha dela ou qualquer outra criança em casa, todos terão que ficar conosco o tempo todo. Expliquei pra ela que  uma das razões pela qual não temos televisão e fazemos escola em casa é para nossos filhos sejam preparados pra combater esse tipo de maldade, pois quando eles tiverem maturidade para discernir  coisas mais complexas nós mesmos introduziremos de uma forma que não seja um motivo de traumas ou problemas maiores, de uma forma que elas entendam e não temam. Ela me entendeu, e acredito que foi um bom testemunho.

 

No outro dia conversei com todos, pra Amy que é a mais velha eu disse que ela  já tem idade pra falar pra alguém : desculpe mas na nossa família nos não gostamos de ouvir esse tipo de história, e aproveitei a oportunidade pra ensinar os outros a falarem o mesmo, e eles concordaram com tudo o que falei.

 

No final de semana passada tivemos um churrasco da vizinhança aqui, adivinha o que ouvi a Rebekah(três anos de idade) falar pra garota que contou a história de terror? – Na nossa família nos não contamos ou ouvimos histórias que nos fazem ter medo e ter pesadelos, contamos histórias que nos anima porque nos somos muito novos!

 

Talvez você nao concorde com o nosso estilo de vida, mas acredito que se você  ama seus filhos vai concordar que proteger os nossos filhos é  muito importante no mundo em que vivemos hoje!

Pra terminar quero colocar aqui a letra de um corinho que a gente cantava quando era criança, e que agora meus filhos cantam também, enquanto eu canto eu penso: Sera que estou ensinando meus filhos e seguirem o conselho deste canto?

cuidado olhinho o que vê, cuidado olhinho o que vê, o Salvador do céu esta olhando pra você, cuidado olhinho o que vê.

Cuidado boquinha o que fala …..

Cuidado pezinho onde anda…

Que o nosso Senhor nos de sabedoria pra guiar os nossos pequenos no caminho DELE!